Apesar da crise, inadimplência tem mínima recorde em julho

Segundo dados do Banco Central, no ano passado, a inadimplência havia sido de 4,0%, contra 3,5% em 2020

Mesmo com a crise gerada pelo o novo coronavírus e o temor que bancos e instituições financeiras acerca de calotes, o Banco Central informou no último dia 28, que a inadimplência no país caiu a uma mínima recorde em julho de 3,5%. No mesmo período do ano passado, o percentual havia sido de 4,0%.

Iniciada em março de 2011, esse marco é o menor da série histórica do BC e vem em meio à recomposição de renda proporcionada pelo programa de auxílio emergencial. Para Edemilson Koji Motoda, diretor do Grupo KSL, os níveis de inadimplência variam muito de acordo com o segmento, o prazo da dívida, o tipo de devedor (PJ ou PF) e cada um pode ser analisado de formas diferentes.

“Ao comparar o 1º e 2º trimestre de 2020 as recuperações dos contratos de Pessoa Jurídica, para o prazo de 60 dias de entrada no escritório, algumas carteiras tiveram queda de 18,43%. Já os contratos de Pessoa física, em algumas carteiras, chegaram a apresentar aumento na recuperação de até 10% em relação ao primeiro trimestre”, comenta.

O empresário reforça que nesse momento o consumidor deixou de consumir muitas coisas que antes fazia parte de sua rotina e acabou alterando algumas prioridades, por exemplo, se antes comia todos os dias fora, passou a cozinhar em casa, talvez nesse caso passou a gastar menos e com isso conseguiu economizar algum dinheiro. Já as empresas, especialmente as micro e médias empresas, podem ter sofrido mais o efeito da crise, uma vez que tiveram que fechar suas portas por dois ou até três meses.

Motoda acredita na importância de haver uma reeducação financeira nesse momento e informar a população sobre os benefícios da quitação de dívidas evitando acúmulos de encargos e juros. “Dívida é ruim para qualquer pessoa, assim, quanto antes puder quitá-la é melhor e fundamental para a organização e saúde financeira, além do mais essas medidas emergenciais são uma ótima oportunidade para colocar suas contas em dia. Nesse sentido, é sempre bom entrar em contato e buscar negociar formas que visem a quitação da pendência, evitando o acúmulo de encargos e juros, podendo ainda – de forma mais estruturada e equilibrada, voltar a consumir”, finaliza.

Sobre a KSL

O GRUPO KSL é especialista em cobrança amigável e cobrança jurídica, atuando também em serviços de Contact Center e relacionamento. Desde o seu surgimento em 1996, o equilíbrio entre atendimento humanizado e inovação tecnológica sempre balizaram os serviços prestados pelo grupo, que personaliza serviços e soluções que integram o processo de gestão de seus clientes.

Informações para a imprensa:

LuckyCom Comunicação Integrada

Ana Paula Lima

(11) 5573-4777

 ana@luckyassessoria.com.br

www.luckyassessoria.com.br